Fechar
/home/iqp6fzsh7ogs/public_html/wp-content/themes/sap-diversidade/src/assets/img/logo-pt_BR.svg

SÃO PAULO muro por GRAZIE

Lembre-se de quem você é

Sara Cázares

Customer Engagement Executive

Aos 51 anos de idade, Sara Cázares prefere evitar qualquer tipo de definição para si mesma – mas, se insistirem, ela se descreveria como uma mulher de personalidade extravagante. Ela se reserva o direito de ser uma metamorfose ambulante e de fazer o que lhe der vontade. Seus cabelos, que no passado já foram rosa, hoje são platinados. A tatuagem que tem de um Mickey Mouse numa moto representa suas duas paixões: a Disneylândia e a velocidade. Sua próxima tatuagem será um Simba, o personagem principal de O Rei Leão, acompanhado da mensagem que recebe do fantasma de seu pai, Mufasa: “Lembre-se de quem você é”.

Manter-se fiel a quem ela é e não esconder a sua autenticidade numa função de atendimento ao cliente é algo que ela admira em si mesma.

Na SAP, eu me sinto empoderada para ser autêntica, e isso passa uma mensagem fortíssima dentro do ambiente corporativo. Infelizmente eu sei que, em algumas empresas, as pessoas não podem ser elas mesmas.

Sara gosta de cantar e dançar, embora admita que não é muito boa em nenhuma das duas coisas. Ela assiste esportes, adora carros, se veste com caveiras, e, sobretudo, é sempre direta e se sente segura em ser honesta. Ela não acha que precisa ficar medindo palavras desde que seja sempre respeitosa. O que importa para ela é ser fiel a quem ela é e a tudo o que ela faz.

Sua personalidade expansiva também se estendeu à sua vida profissional. Começou a trabalhar aos quinze anos, motivada por uma sede por independência. Quis primeiro estudar Comunicação Social, mas sua vida acabou tomando um rumo diferente: passou por vendas, RH e implementação de sistemas antes de chegar à área de decisões empresariais, onde trabalha atualmente. Nesse meio-tempo, casou-se aos 23 e teve dois filhos: uma filha, Paulina, e um filho, Miguel. Sua carreira ia de vento em popa – com ela sempre foi assim, com mil coisas acontecendo ao mesmo tempo. Ela se mudou de cidade algumas vezes, viajou muito e enfrentou diversos desafios.

Depois de passar dezessete anos em Monterrey, para onde tinha se mudado por causa de uma oportunidade de trabalho, ela voltou à Cidade do México, sua cidade natal. A mudança de ares foi acompanhada de outra importante mudança: o fim de seu casamento. As brigas tinham se tornado cada vez mais intensas. Após anos tentando salvar o relacionamento – que ela se recusava a admitir que tinha chegado ao fim porque estava sob a falsa impressão de que isso significaria admitir que fora um fracasso –, ela enfim decidiu se libertar.

Tendo em mente a cultura machista com a qual estava acostumada, uma que esperava dela submissão aos homens e às suas necessidades, Sara disse: “Eu prometi a mim mesma que nunca voltaria a sofrer tanto assim por outra pessoa”. Apesar de sempre ter sido independente, o fardo que sentia sobre os ombros era difícil demais de carregar.

Saiu do relacionamento de mãos abanando, com nada além de seus filhos debaixo dos braços.

A lição mais valiosa que aprendi foi que, se você pode mudar algo, então mude. Se não pode, então mude a si mesmo.

Ela também entendeu que a força que precisava viria de sua família e de seus amigos e, portanto, decidiu se dedicar de corpo e alma a eles, algo que continua a fazer até hoje. Na Cidade do México, topou com um antigo amor – um ex-namorado que voltou a entrar em sua vida e não saiu mais desde então –, e agora tem dois anos já que estão juntos. Com base nos dolorosos ensinamentos tirados de seu relacionamento anterior, Sara decidiu agir de maneira diferente desta vez: decidiu que era melhor que vivessem cada um em sua casa e que assim pudessem preservar sua individualidade.

Sua vida sempre foi cheia de surpresas e reviravoltas, mas, por agora, Sara só quer saber de tranquilidade. Quando chegar a hora de se aposentar e de seus filhos saírem de casa, Sara vai se mudar para mais perto da praia, se dedicar ao ensino religioso e ensinar as pessoas a ler – uma experiência que será completamente nova para ela. “Quero ir para algum lugar tranquilo, mas não vou ficar parada, me conheço bem”, ela ri. Uma frase conhecida de Vicente Fernandez, um cantor mexicano, serve de inspiração para a maneira como vive a sua vida:

Se você não parar de aplaudir, eu não paro de cantar.

“Mientras usted no deje de aplaudir, Chente no deja de cantar”.
Refrão popular do cantor mexicano Vicente Fernandez.


Endereço do grafite: Av. Brigadeiro Faria Lima, 364 - Pinheiros | São Paulo, Brasil